search
Entrar
Anúncio publicitário


Tem uma dúvida?


Faça uma pergunta

1 voto
perguntado em Sem categoria Novato 27 pontos 1 2 6
Anúncio publicitário

1 resposta

2 votos
 
Melhor resposta

O menor de idade não é obrigado a ter acompanhante para passar em consulta médica. Essa obrigação teria que estar prevista em lei para ter efetividade, em função do princípio da legalidade, ou seja, ninguém é obrigado a fazer ou deixar de fazer algo se não em virtude de lei [1].

O Conselho Federal de Medicina, no parecer CFM 25/13 [2], traz algumas orientações adicionais aos médicos.

"(...) por conduta prudente entendemos que:

1. Em caso de urgência/emergência o atendimento deve ser realizado, cuidando-se para garantir a maior segurança possível ao paciente. Após esta etapa, comunicar-se com os responsáveis o mais rápido possível;

2. Em pacientes pré-adolescentes, mas em condições de comparecimento espontâneo ao serviço, o atendimento poderá ser efetuado e, simultaneamente, estabelecido contato com os responsáveis;

3. Com relação aos pacientes adolescentes há o consenso internacional, reconhecido pela lei brasileira, de que entre os 12 e 18 anos estes já têm sua privacidade garantida, principalmente se com mais de 14 anos e 11 meses, considerados maduros quanto ao entendimento e cumprimento das orientações recebidas;

4. Na faixa de 12 a 14 anos e 11 meses o atendimento pode ser efetuado, devendo, se necessário, comunicar os responsáveis.

O conceito de adolescente maduro, entretanto, pode, de acordo com a avaliação do profissional, não se restringir somente à faixa etária, posto que no dinamismo que caracteriza esta fase do desenvolvimento a maturação pode sofrer variação decorrente de influências socioambientais e pessoais.

Finalmente, deve-se cuidar que seja cumprido o art. 74 do Código de Ética Médica, que veda ao médico: 'Revelar sigilo profissional relacionado a paciente menor de idade, inclusive a seus pais ou representantes legais, desde que o menor tenha capacidade de discernimento, salvo quando a não revelação possa acarretar dano ao paciente'."

 

Referências

[1] Constituição Federal, Art. 5º, II - ninguém será obrigado a fazer ou deixar de fazer alguma coisa senão em virtude de lei;

[2] Parecer CFM 25/13. Disponível em: https://sistemas.cfm.org.br/normas/visualizar/pareceres/BR/2013/25

Renan Akamine é advogado (OAB 407 665) e fundador do site Pergunte Direito. Graduado em Direito pela Pontifícia Universidade Católica de São Paulo.
respondida Nível 12 3.909 pontos 15 18 35
escolhida como melhor resposta por
Anúncio publicitário

Isenção de responsabilidade

As respostas e comentários do Pergunte Direito não são aconselhamentos legais, não criam relações advogado-cliente e não são ofertas de serviços jurídicos. A finalidade deste site é restrita a estimular a troca de conhecimentos acadêmicos e de utilidade pública.

Se você ignorar este aviso e fornecer informações confidenciais em mensagens privadas ou públicas, não haverá obrigação de manter a informação sigilosa ou de renunciar a atuação contrária a seus interesses.

Consulte um advogado antes de fazer algo que possa afetar seus direitos.


Tem uma dúvida?


Faça uma pergunta

Perguntas relacionadas

0 votos
1 resposta
perguntado em 7 de maio de 2018 em Direito Penal Antonio Gil Novato 10 pontos
Anúncio publicitário

...